Escola Tecnológica, Artística e Profissional de Pombal - ETAP
Escolas Profissionais, Notícias

ETAP, Uma Escola de Oportunidades

A Escola Tecnológica, Artística e Profissional de Pombal nasceu há 30 anos para promover uma aprendizagem mais técnica com uma oferta formativa virada para as necessidades das empresas.

Visando o desenvolvimento do aluno em todas as suas dimensões, esta Escola Profissional de Pombal vai além dos modelos tradicionais de educação. Uma instituição que aposta na inovação, na autonomia do aluno, na personalização do ensino, na aprendizagem baseada em desenvolvimento de projetos, no uso da tecnologia e na construção de espaços que estimulem a aquisição do conhecimento através da prática.

Sofia Marques, recém-formada do curso de Turismo, relata-nos a sua experiência de entrada na ETAP: “Não me sentia bem no curso em que estava (ensino regular) e decidi mudar para um curso profissional já no 2º período. Agora sei que fiz uma boa escolha. A relação com os professores e funcionários é diferente das outras escolas onde já andei. Acolhem-nos melhor e a ligação entre todos é muito próxima.” Sofia ingressou no ensino superior, em Terapia da Fala.

Já Ângela Cordeiro, ex-aluna do curso Auxiliar de Saúde sempre quis estudar saúde. “Não sabia que, com um curso profissional, também podia prosseguir estudos e quando soube percebi que era uma boa ideia pois podia começar a estudar saúde logo a partir do 10º ano.” Quando terminou o curso foi trabalhar para o Centro Hospitalar São Francisco, e, neste momento, está a frequentar a licenciatura em enfermagem.

 

A ETAP conta com instalações e oficinas/laboratórios devidamente equipados com instrumentos de ensino e investigação, associados a cada um dos cursos e às suas saídas profissionais.

Tem um espaço fabril, em parceria com a Iber-Oleff, com 200 metros quadrados, com atualizados equipamentos. Este espaço, juntamente com oficinas de mecânica e mecatrónica, criam ambientes reais de trabalho representativo do que é hoje a indústria.

Para alguns jovens a escolha por esta escola prende-se com a especificidade dos cursos, alguns deles únicos na região, e com a sua correspondência às reais necessidades de recrutamento das empresas, fator que favorece a empregabilidade, permitindo que a ETAP atinja níveis de quase 100% neste campo. É o caso do ex-aluno de mecatrónica, Diogo Azenha, residente na freguesia do Carriço e concelho de Pombal, em 2016 realizou o seu estágio de final de curso na empresa Valsteam, localizada no Parque Industrial da Guia, tendo aí ficado a trabalhar, tal como acontece com a maioria dos alunos finalistas.

A Escola integra mais de 40 empresas da região na sua estrutura acionista. Este conjunto de empresas emprega mais de 3500 trabalhadores e fatura mais de 4 centenas de milhões de euros por ano.

Também a possibilidade de realização de estágios em empresas de referência na região, ou mesmo noutros países através do Programa Erasmus +, é outra das mais valias apontadas à ETAP. Este programa de mobilidade europeia de estudantes atingiu uma elevada notoriedade dentro e fora da escola, tendo no presente ano letivo sido realizadas mais de 30 mobilidades internacionais envolvendo países como Alemanha, Áustria e Irlanda. Ângela Santos, finalista do curso de mecatrónica automóvel, é uma das alunas que se encontra a usufruir do Programa Erasmus +, estagiando em Viena (Áustria) numa oficina automóvel “É uma experiência muito desafiante. Agora quero candidatar-me à força aérea.”

 

UMA ESCOLA COM UMA FORTE LIGAÇÃO ÀS EMPRESAS

Na ETAP, a procura de novos parceiros, que permitam melhorar a oferta formativa e robustecer a qualidade com que é ministrada, é uma aposta constante. São vários os exemplos dessas parcerias, que se podem encontrar ao nível dos cursos profissionais, onde a ETAP tem vindo a contar com a parceria da empresa Iber-Oleff, SA na criação das melhores condições para a ministração do Curso de Transformação de Polímeros.

Os alunos têm estagiado nas melhores empresas e instituições nacionais, quer na área da manutenção industrial, quer na saúde, turismo ou até na mecatrónica automóvel.

Dentro das 8 áreas de formação profissional, a escola oferece estágios com bolsa de profissionalização, nos 3 anos de curso, o que corresponde a mais de 400 protocolos com entidades.

A ETAP tem protocolos assinados com os melhores hospitais da região, como sejam os hospitais públicos de Leiria, Figueira da Foz, Coimbra e o Instituto Português de Oncologia, em Coimbra. Os alunos do curso Técnico Auxiliar de Saúde também estagiam em instituições privadas de referência, como é o caso da Idealmed (classificada em 1º entre os hospitais privados no ranking da Entidade Reguladora da Saúde) ou do Centro Hospitalar de S. Francisco.

Na área do turismo, onde o crescimento em termos de emprego tem sido assinalável nos últimos anos, os futuros Técnicos de Turismo da ETAP estagiam em hoteis e agências de viagens da cidade de Pombal e em outros locais da região e do país.

Já os alunos dos cursos de Eletromecânica, Transformação de Polímeros e CNC têm como locais de estágio grandes empresas da região e mesmo multinacionais. É o caso da Iber-Oleff, Plasfil, Microplásticos, Novares (antiga Key Plastics) e Maxiplás (Grupo Socer), na fabricação de componentes para a indústria automóvel. 

Os concessionários das marcas automóveis líderes de mercado têm sido os locais de eleição para os estágios dos alunos de Mecatrónica Automóvel, como por exemplo o Centro Porsche de Leiria, a Bomcar, a Lubrigaz e a Silva e Santos.

Os estágios são angariados pela ETAP, tendo em 2017/2018 promovido cerca de 460.

A estratégia da escola em relação aos locais de estágio tem permitido que um elevado número de alunos fique empregado após o término do estágio final de curso e que os níveis de empregabilidade (quando combinado com o prosseguimento de estudos) da ETAP sejam muito próximos dos 100%.

 

FORMADORES ATIVOS NA EMPRESAS DA REGIÃO

Tem sido efetuado um reforço da aposta em profissionais que desempenham funções técnicas nas respetivas áreas de formação nas empresas da região.

Com tal aposta pretende-se, por um lado, que a transferência de conhecimentos  seja mais rico  em sintonia com as boas e reais práticas utilizadas nas empresas, bem como em coerência com as tecnologias atualmente utilizadas. Por outro lado pretende-se reforçar a ligação com o meio empresarial, criando canais privilegiados de comunicação com as empresas e um meio facilitador de acompanhamento de estagiários.

 

Jorge Vieira da Silva,
Diretor Geral

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *